... um pequeno Glossário de informática !


ACESSÓRIOS

. Cabos ópticos
Cabos de fibra óptica, que transmitem informação através de sinais ópticos ou luminosos. Cabling - sistema de cabos usados numa rede. Cladding - revestimento que serve para rodear as fibras dos cabos.

. CSMA/CD
(Carrier Sense Multiple Access) Método de acesso ao meio fisíco com detecção de colisões.

. Cabo STP
(Shielded Twiested-Pair ou cabo de pares entraçados blindado) Consiste em pares de fios entrançados revestidos por um invólucro plástico, com vista a proteger os condutores das interferências electromagnéticas.

. Cabo UTP
(Unslhieded Twiested-Pair ou cabo de pares entraçados não-blindados) Consiste apenas nos pares entrançados sem blindagem.

. Cabo Thin Ethernet
(Thinnet) Um cabo coaxial fino, com uma capacidade transmissão de cerca de 10 Mbps, com uma extensão máxima de segmento de rede de cerca de 185 metros.

. Cabo Thick Ethernet
(Thicknet) Um cabo coaxial grosso, com uma taxa de transmissão de cerca de 10 Mbps e com uma extensão máxima de 500 metros.

. CARDBUS
Versão 32 bits do bus PCMCIA.

. COAXIAL
Tipo de cabo com um condutor central envolvido num isolador que, por sua vez, é envolvido num escudo cilíndrico de fios. É usado para transportar sinais de altas frequências como o video e o rádio. O escudo é, usualmente, ligado à terra para reduzir a interferência eléctrica.


COMPUTADORES

. ASCII
Norma estandardizada que define a codificação dos caracteres não acentuados e dos outros signos úteis. Esta norma divide os 256 caracteres em dois grupos de 128. O primeiro contém sinais de pontuação, letras maiúsculas e minúsculas e 32 códigos necessários à comunicação e à impressão. O segundo contêm outros caracteres úteis mas já mais específicos para a ciência informática.

. BIOS
Conjunto de rotinas pré-programadas e guardadas na ROM de cada computador, que gerem a interligação básica entre o sistema operativo os vários componentes do computador.

. BOOT
Inicialização do sistema operativo no computador.

. COOKIE
Identificação de transacção ou outro testemunho de acordo entre programas cooperativos. O recibo de uma lavandaria é o perfeito exemplo de uma cookie, pois é o que permite identificar uma transação passada.

. COMPATIBILIDADE
Sistemas diferentes (programas, ficheiros, protocolos, etc) que podem trabalhar juntos ou que podem trocar dados são sistemas compatíveis.

. CACHE
Pequena memória, geralmente rápida, que guarda dados recentemente acedidos, que foi desenhada para acelerar acessos posteriores aos mesmos dados. Normalmente é aplicada a acessos do processador à memória, mas também a acessos a dados locais sobre uma rede.

. DNS
Serviço replicado e distribuído de uso generalizado usado na Internet para a tradução de nomes de servidores em endereços Internet. O DNS pode ser configurado para o usar uma sequência de nomes de servidores baseados nos domínios existentes no nome do servidor que se procura, até que o encontre.

. DIMM
Pequenas placas que incluem circuitos integrados de memória com conectores de sinal e energia em ambos os lados, em contraste com os SIMMs (Single In-Line Menory Modules). Os DIMMs usam um bus de dados de 128 bits através de interleaving e ciclos de acesso à memória alternados. Em contraste, os SIMMs (usados na maioria da indústria dos PCs) só usam um bus de dados de 64 bits.

. ENCRIPTAÇÃO
Procedimento usado na criptografia que converte texto comum em texto cifrado, para prevenir que ninguém, excepto o destinatário, o possa ler.

. EMULAÇÃO
Um sistema está a emular outro quando se comporta e funciona exactamente da mesma maneira, apesar de poder estar mais lento. Um exemplo típico é a emulação de um computador por um programa a executar noutro.

. DOWNLOAD
Transferência de dados ou, especialmente, de código de um computador para outro. A distinção entre downloading e uploading é pouca, mas downloading refere-se, muitas vezes, à transferência de um sistema maior (especialmente um servidor) para um sistema cliente mais pequeno

. HTTP
Hipertext Transfer Protocol: O protocolo cliente/servidor TCP/IP usado na Internet para a troca de informação.

. HTML
Hipertex Markup Language: Documento de formato hypertexto usado na Internet. Contruído sobre o SGML, consiste numa listagem de "tags" inseridas no texto. Uma tag consiste num "<", uma directiva, zero ou mais parâmetros e outro ">". Pares iguais de directivas servem para delimitar o texto que deve aparecer de uma certa maneira.

. HYPERLINK
Ligação de referência de um ponto num documento hypertexto para outro ponto noutro documento ou noutro sítio no mesmo documento. Um browser mostra o link de uma maneira evidenciada.Quando o utilizador activa o link o browser leva-o onde a acção o determinar.

. HUB
Dispositivo que interliga vários computadores ou periféricos entre si.

. HOSTNAME
Nome inequívoco pelo qual um computador é conhecido na rede, usado para identificá-lo na troca de informação electrónica (como o e-mail).

. HSSI
Porta série que suporta velocidades de transmissão até 52 megabits por segundo (Mbps). Normalmente é usada em dispositivos de redes de âmbito alargado (WAN) como os routers.

. FIREWIRE
Standardização de interface para um bus de série que oferece comunicação a alta velocidade e serviços de dados isócrono e em tempo real.

. GATEWAY
Conversor de Protocolo; Router ou qualquer outro tipo de dispositivo de interligação de redes.

. FRAGMENTAÇÃO
O processo, ou resultado, da divisão de uma grande àrea de memória (em disco rígido ou em memória principal - RAM) em blocos não contíguos. Isto acontece depois de muitos blocos terem sido alocados e libertados. Por exemplo, se existirem 3 kilobytes de espaço livre e dois blocos de 1 kilobyte forem alocados, então quando o primeiro é libertado (não contíguo com o livre), o espaço livre aumenta de 1 para 2 kilobytes divididos em dois blocos de 1 kilobyte. O tamanho máximo do bloco que possa ser alocado é de 1 kilobyte, apesar de existirem 2 kilobytes livres. A solução é a compactação do espaço livre movendo os blocos alocados para um lado e, claro, o espaço livre para o outro.

. FTP
File Transfer Protocol: Protocolo cliente/servidor que permite a um utilizador transferir ficheiros de e para um computador sobre uma rede TCP/IP.


COMUNICAÇÕES

. BPS (bits por segundo)
Taxa de transmissão de dados sobre uma linha de comunicação. Por exemplo, a taxa de transmissão de um modem é medida em kilobits por segundo. Em 1996, a velocidade máxima de um modem nas linhas telefónicas era de 33.6 kilobits por segundo, o que perfaz 1024x33.6 bits por segundo (bps).

. BRI
Um canal da RDIS que consiste em dois canais (B) de 64 kilobits por segundo para transferência de dados e mais um (D) de 16 kilobits por segundo para controlo e sinalização. O BRI proporciona um débito de 144 kilobits por segundo. Os canais B são usados para voz ou dados, enquanto que o canal D é usado para a sinalização e/ou encaminhamento de pacotes X.25. BRI é o interface de RDIS mais comum em residências.

. CARDBUS
Versão 32 bits do bus PCMCIA.

. COAXIAL
Tipo de cabo com um condutor central envolvido num isolador que, por sua vez, é envolvido num escudo cilíndrico de fios. É usado para transportar sinais de altas frequências como o video e o rádio. O escudo é, usualmente, ligado à terra para reduzir a interferência eléctrica.

. DIALUP
Ligação temporária entre sistemas sobre a linha telefónica, usando um modem.

. FTP (File Transfer Protocol)
Protocolo cliente/servidor que permite a um utilizador transferir ficheiros de e para um computador sobre uma rede TCP/IP.

. GSM
Standardização de comunicações celulares digitais.O GSM é usado, nos nossos dias, nas bandas de 900 megahertz e 1800 megahertz.

. HUB
Dispositivo que interliga vários computadores entre si. Num serviço de gestão de mensagens, um número de computadores locais podem trocar mensagens entre si só com o hub.


IMPRESSORAS

. Impressora de agulhas ou matricial
É uma impressora com uma resolução média de 300 pontos por polegada (ppp) e uma velocidade de impressão de 10 a 15 páginas por minuto (ppm), dependendo do tipo e tamanho de letra. Possui um conjunto de agulhas de aço, que imprimem por meio de uma fita com tinta. Pode ser de 9, 18 ou 24 agulhas.

. Impressora de jacto de tinta
É uma impressora com uma resolução média entre os 600 e os 2880 pontos por polegada e uma velocidade de impressão de 4 a 19 páginas por minuto, dependendo do conteúdo e da resolução escolhida. A impressão pode ser feita por dois processos, dependendo do modelo em questão: 1- Por aquecimento térmico; 2- Por um processo electromecânico (por vibração).

. Impressora laser
É uma impressora com uma resolução média entre os 300 e os 1500 pontos por polegada e uma velocidade de impressão de 3 a 30 páginas por minuto, dependendo do conteúdo e da resolução escolhida. Dentro da impressora, existe uma unidade de processamento de imagem, que é constituída por um tambor foto condutor, um recipiente para toner e uma unidade de transferência. Quando a folha passa por esta unidade, com a pressão e o calor, dá-se a impressão no papel.

. DeskTop
É a impressora mais comum, que é ligada ao computador através da porta paralela ou USB.

. Portátil
É uma impressora de pequenas dimensões, leve e com menor resolução. A sua maior vantagem reside na sua fácil mobilidade. Algumas possuem receptores de infravermelhos.

. Multifunções (All in One)
É uma impressora que combina funções diferentes (fax, impressão, fotocopiadora e scanner).

. Plotter
É uma impressora de grande dimensão, destinada a trabalhos gráficos, de grande dimensão e detalhe. É mais utilizada em gráficas e empresas de arquitectura.

. Dimensão
As impressoras têm dimensões diferentes, dependendo do modelo. As impressoras a jacto de tinta, geralmente, ocupam mais espaço, devido à gaveta do papel e ao suporte das folhas impressas. São mais leves que as impressoras laser.

. Resolução de impressão
Na impressora de agulhas, a qualidade de impressão é definida pelo número de agulhas. Adequar ao espaço.

. Qualidade de impressão
Na impressora de jacto de tinta e laser, a qualidade de impressão mede-se pela capacidade de resolução e pelo número de pontos por polegada (ppp). Normalmente, quanto maior for o número de pontos por polegada (300, 360, 600, etc.), melhor é a qualidade de impressão. Esta densidade pode variar dentro da mesma família de impressoras. Quanto maior for a resolução, mais lenta é a impressão.

. Velocidade de impressão
Nas impressoras de agulhas, a velocidade de impressão mede-se em número de caracteres por segundo (cps). Nas impressoras laser e de jacto de tinta, a velocidade é medida em número de páginas por minuto (ppm). As impressoras laser são as mais indicadas para a impressão de grande número de páginas, uma vez que são muito mais rápidas. As impressões a preto são mais rápidas, que as impressões a cores, devido à menor necessidade de informação. A velocidade de uma impressora varia de modelo para modelo.

. Cor
A impressão a cores é mais adequada para a produção de gráficos e apresentações. As impressoras a jacto de tinta possuem, normalmente, dois tinteiros separados: um para o preto e o outro para as três cores (amarelo, magenta e ciano). Existem impressoras que possuem um tinteiro para cada cor. No caso das impressoras a laser, estas possuem um toner para cada cor (preto, amarelo, magenta e ciano).

. Memória
A capacidade de memória situa-se, em média, entre 512 bytes e 8 Mb, existindo ainda, extensões de memória para reforçar a capacidade da impressora. A memória de uma impressora está directamente relacionada com a sua velocidade de impressão. Quanto maior for a memória de uma impressora, mais rapidamente a memória do computador é libertada e os dados são processados. Rapidez de processamento Qualidade de apresentações.

. Tipo de papel
O tipo de papel utilizado interfere na qualidade de impressão. A qualidade de impressão no papel couché brilhante ou outros tipos de papel couché, é superior à do papel de fotocópia porque, neste último, a tinta espalha-se facilmente nas fibras, podendo esborratar. Para obter impressões de qualidade fotográfica, deve utilizar-se papel de alto brilho ou papel com qualidade fotográfica.

. Ruído
É o barulho provocado pelo funcionamento da impressora. As impressoras a laser são as mais silenciosas. No entanto, existem modelos a jacto de tinta que possuem um mecanismo de impressão bastante silencioso, permitindo um nível de ruído semelhante a uma impressora laser.

. Inserção de papel
Tendo em conta o modelo a ser utilizado, a inserção do papel nas impressoras pode ser feita de quatro formas: Adequar às necessidades; Qualidade de impressão; Qualidade de ambiente.

. Por tabuleiro de papel
As folhas são colocadas no tabuleiro e são impressas uma a uma, automaticamente. A capacidade do tabuleiro pode situar-se entre as 40 e as 200 folhas. Existem tabuleiros de vários formatos (A5, A4 e A3).

. Por fricção
O papel é apertado contra o carreto da impressora e é puxado à medida que vai sendo impresso (só utilizada nas impressoras de agulhas).

. Por alimentação manual de papel
Permite inserir folhas num tabuleiro especial da impressora, por exemplo, uma folha timbrada, que passa de forma independente das folhas que estão no tabuleiro normal.

. Por tracção (ou picot)
Especialmente concebido para o papel de listagem, perfurado lateralmente (mais utilizado nas impressoras de agulhas). Ao utilizar-se diferentes tipos de papel, deve verificar- se se a impressora permite a impressão em diferentes formatos de papel, acetatos ou envelopes.

. Ligação ao computador
Ligação em Paralelo A distância entre os dois equipamentos não pode ser superior a cinco metros, para respeitar a fiabilidade de comunicação.

. Ligação Apple Talk
Ligação em série, reservada aos computadores Apple.

. Ligação USB (Universal Serial Bus)
Ligação mais rápida do que a porta paralela. Actualmente, através desta ligação podem-se ligar as impressoras que possuem entrada USB, tanto aos PC como aos Macintosh, em alguns casos.

. Instalação
A maioria das impressoras já traz programa de instalação, o que permite o seu funcionamento quase imediato. Os computadores equipados com o Windows 9x/ME reconhecem automaticamente as impressoras mas, geralmente, necessitam de um CD de instalação. Facilitar a utilização Versatilidade. A instalação é feita através de um CD ou disquete de instalação de software das impressoras. Estes são de instalação fácil e automatizada. Evitar colocar a Impressora perto de uma fonte de calor ou ao sol. Nunca bloquear as grelhas de ventilação, para não queimar a Impressora. Não ligar os cabos à unidade central do computador, se este estiver ligado. Desligar o computador primeiro (excepto na ligação USB). Optimizar o uso da Impressora em termos de papel e tinta. Ler atentamente o manual de instruções do fabricante e proceder de acordo com as indicações (antes de utilizar a Impressora).


JOGOS

. CONTROLADORES DE JOGOS
São dispositivos que maximizam a utilização de jogos do computador.
Entre estes figuram:
· O Joystick - usado em jogos tendo por base simulações: simulações de voo, batalha aéreas, entre outros;
· O Game Pad - adequado a jogos de desporto e combates físicos, este periférico simula os usados nas consolas de jogos;
· O Volante - este é o periférico vocacionado para a condução automobilística, indo alguns até ao pormenor de estremecer quando um piloto se encontra fora da estrada ou exercer uma força contrária à acção da utilizada numa curva, simulando o comportamento real do automóvel (force feed-back). Existem alguns especialmente dirigidos para a condução de F1, com as mudanças perto do volante.


MULTIMÉDIA

. AVI
Norma de audio e video digital em que a imagem e o som são combinados no mesmo fluxo e codificados.

. BITMAP
Representação de uma imagem ponto a ponto numa matriz de pixeis.

. CÂMARA DIGITAL
Este dispositivo externo ao computador permite a captura digital de imagens. Baseia-se nas máquinas fotográficas clássicas, mas incluem hardware que digitaliza directamente as imagens capturadas e as armazena em dispositivos amovíveis (disquete) ou, ainda, directamente no disco duro do computador

. DOT PITCH
Distância entre um ponto e outro ponto da mesma côr (RGB). O dot pitch é, normalmente, entre 0.28 e 0.51 mm, mas grandes monitores de apresentação podem elevar este valor até 1 mm. O mais pequeno dot pitch, melhor a imagem. Um dot pitch d 0.31 ou menos, proporciona uma imagem com muita qualidade, especialmente em texto.

. FRAME
Pacote da camada de ligação lógica que contêm a informação requerida pelo meio físico (sob a forma de prefixo e sufixo). Ou seja, os pacotes são encapsulados para formar frames.

. VÍDEO
A qualidade do video, tal como do aúdio, é proporcional ao número de bits usados na representação das amostras (pixeis). Assim, com 24 bits de representação por pixel, o sistema poderá representar 16777216 cores, bem como 256 niveis de cinzento adicionais.


PERIFÉRICOS

. ACELERADOR
Hardware adicional que proporciona um maior aumento de velocidade na concretização de uma tarefa do que é possível em software que é executado numa CPU normal. Exemplos incluem aceleradores gráficos e aceleradores do cálculo matemático.

. AUSCULTADOR
São periféricos de audição individual, que permitem ouvir os sons gerados/lidos pelo computador de forma individual.

. BITMAP
Representação de uma imagem ponto a ponto numa matriz de pixeis.

. CMYK
Sistema para a descrição das cores, pela quantidade de cada cor secundária (cyan, magenta e amarelo) em conjunção com o preto. O sistema CMYK é usado para a impressão. Para a mistura de pigmentos, é melhor usar as cores secundárias, pois elas misturam-se subtractivamente em vez de aditivamente. As cores secundárias da luz são cyan, magenta e amarelo, que correspondem às cores primárias dos pigmentos (azul, vermelho e amarelo). Para além disso, apesar do preto poder ser obtido misturando as três em iguais proporções, na impressão a quatro cores ele tem sempre a sua própria tinta. O K significa preto (black) para não causar confusão com o B em RGB.

. COLUNAS DE SOM
São os elementos de saída (output) do sinal gerado pela placa de som do computador, os quais geram um número enorme de frequências para os seus ouvidos. Existem colunas de diversas potências sonoras e variadas dimensões. Para os mais devotos do som, as colunas vêm referenciadas em frequências de resposta (ex.: 80Hz-20kHz, a frequência mínima e máxima) e em potência (10W RMS, root mean square, designada por potência nominal que é a potência máxima sem ruído ou distorção). São em regra geral apenas duas, colocadas ao lado do monitor, existindo porém outras, em número maior, orientadas para sistemas de som mais amplos, espalhadas por toda a sala (e também ao lado do monitor).

. DIGITALIZAÇÃO
Operação que transforma dados analógicos em dados digitais.

. DRIVE
Dispositivo periférico que lê e escreve em discos rígidos ou disquetes. A drive contém um motor para a rotação do disco a uma taxa constante e uma ou mais cabeças de leitura/escrita que se posicionam sobre as pistas desejadas. Contém, ainda, componentes electrónicos para amplificar os sinais das cabeças de leitura/escrita para os niveis digitais normais (e vice versa).

. DOT PITCH
Distância entre um ponto e outro ponto da mesma côr (RGB). O dot pitch é, normalmente, entre 0.28 e 0.51 mm, mas grandes monitores de apresentação podem elevar este valor até 1 mm. O mais pequeno dot pitch, melhor a imagem. Um dot pitch d 0.31 ou menos, proporciona uma imagem com muita qualidade, especialmente em texto.

. IMPRESSORA
A impressora é responsável pela reprodução em papel dos dados armazenados e processados no computador e que são apresentados no ecrã. A impressora pode ser do tipo laser, jacto de tinta, matricial ou sublimação. De acordo com a função a que se destina determina-se o tipo de tecnologia a ser escolhida. As impressoras são referenciadas quanto à sua velocidade, medida em ppm (Pages Per Minute - páginas por minuto) e quanto à sua resolução, expressa em dpi (Dots Per Inch - pontos por polegada), que determina a qualidade da impressão. Deve ainda ser destacado o facto que, em virtude das diferenças tecnológicas presentes nas impressoras, uma resolução máxima não representa qualidade fotográfica e, sendo assim, a análise de provas de impressão torna-se um considerável parâmetro para apreciação. Existem ainda impressoras com qualidade fotográfica distinguindo-se das demais por permitir a impressão em vários tipos e tamanhos de papel, uma elevada qualidade de impressão, sendo estas as dirigidas para artistas gráficos e designers.

. MICROFONE
É um dispositivo de entrada que captura sinais sonoros exteriores para a placa de som e os permite gravar em diversos formatos digitais: WAV, RAW, MPEG Layer-3 - para citar os mais comuns. A par da câmera trata-se de um elemento essencial nas videoconferências, vindo até por vezes incorporado na câmara.

. MONITOR
Este é o aparelho onde irá olhar colocar os olhos com maior frequência. É também a maior frequência (vertical, medida em Hz), a par do tamanho do monitor ou área de visualização, as características que servem de referência a um monitor. A dimensão do monitor é indicada em polegadas (uma polegada é equivalente a 2,54cm). Este tamanho corresponde à medida da diagonal do ecrã (por exemplo um monitor de 17" equivale a uma diagonal de cerca de 17" × 2,54cm = 43,18cm), sendo no entanto considerada a diagonal externa e não a visível. A frequência vertical de funcionamento (Refresh Rate) será o factor mais importante para o utilizador que passe muitas horas em frente ao monitor. Os valores típicos aceitáveis encontram-se na ordem dos 75 Hz (standard VESA) para a resolução máxima (número de pontos, pixels) dum monitor de 17". Dos diversos tipos de monitor: CRT (Cathode-Ray Tube, monitor de raios catódicos) e LCD (Liquid Crystal Display, monitor de cristais líquidos) - distinguem-se estes últimos por serem os mais leves e os que ocupam menos espaço, têm ainda como vantagem o facto de consumirem menos energia, para uma mesma resolução. Um outro factor importante para quem trabalha em imaging é o dot pitch que mede a distância dum ponto a outro, os valores ideais serão os mais pequenos (0,25mm) que se traduzem numa imagem mais cristalina.

. MULTIFUNCÕES
Estes periféricos também chamados PSC (Printer, Scanner, Copier) permitem reunir num só elemento as funcionalidades duma impressora, digitalizadora e fotocopiadora, tendo como preocupação óbvia a poupança de espaço. Tem em regra geral uma ligação através de USB que evita a acumulação de cabos na traseira do computador, e facilita os recursos utilizados pelo periférico no sistema operativo. O tipo de impressão utilizado é a jacto de tinta ou laser. Os valores de referência para a digitalização são idênticos ao dum scanner comum. A função de fotocopiadora é executadas pela própria impressora, com o auxílio destas duas últimas funcionalidades, e contêm funções encontradas nas fotocopiadoras comuns, como por exemplo: reduções, ajuste de tonalidades, contraste. Algumas multifunções permitem ainda o uso da mesma como FAX.

. RATO (Mouse)
O rato (mouse) é um periférico de entrada que permite o posicionamento e accionamento do cursor no ecrã. Sendo o local onde posicionará a sua mão com maior frequência, trata-se do periférico fundamental para o funcionamento do sistema operativo Windows, ideal para as suas janelas, menus e cliques. Existem diversos tipos de ratos mas todos eles dispõem das funções essenciais para trabalhar com qualquer programa baseado em Windows. Têm como base duas teclas uma de menu (por defeito a da direita) e outra de escolha (esquerda), estando também disponíveis ratos com mais teclas, trackball, rollers e outros tipos de funcionalidades que propõem tornar mais simples a utilização do Windows.

. SCANNER
É um dispositivo que funciona através da emissão de um feixe de luz, permitindo a digitalização de imagens e texto para posterior tratamento. O driver standard TWAIN permite a qualquer programa de tratamento de imagem a importação de uma foto ou desenho directamente do scanner (digitalizador), sendo por isso um periférico fundamental para quem trabalha em áreas como o DTP, etc.. Através dum aplicativo de reconhecimento de texto (OCR, Optical Character Recognition) que acompanha o scanner, poder-se-á importar texto para posterior tratamento. Da mesma forma que as impressoras jacto de tinta, o scanner é referenciado pela sua resolução medida em dpi, sendo esta distinguida por: a) óptica (optical resolution) - a real, obtida por hardware, com valores típicos de 300dpi a 1200dpi; b) interpolada (interpolated resolution) - obtida por software, através de cálculos de interpolação, com valores típicos até 9600dpi. Quanto ao número de cores, os resultados são melhores quanto maior for o número de bits de cor, os valores típicos são: 24bits (16'777'216 cores), 30bits (1'073'741'824 cores) e 36bits (68'719'476'736 cores).

. TECLADO
O teclado é o melhor veículo de comunicação com o seu computador e será, em todo o equipamento, onde colocará os dedos com maior frequência. Este dispõe de todos os caracteres portugueses, de um teclado numérico auxiliar para ajuda em introdução de valores numéricos e de teclas especiais de funções para usar de acordo com os vários programas. Algumas configurações dispõem também de teclados exclusivamente pensados para trabalhar em ambiente Windows, Internet e Multimédia.


SOFTWARE

. APPLET
Um programa escrito em JAVA que pode ser distribuido como attachment num documento da Internet e executado pelos browsers actuais como o HotJava(r) da Sun(tm) ou o Navigator(r) da Nescape(tm). O último limita o campo da acção da applet em termos do sistema de ficheiros e acesso à rede para prevenir violações acidentais ou propositadas.

. ATTACHMENT
Qualquer ficheiro ou conjunto de ficheiros que são enviados juntamente com uma mensagem de correio electrónico (e-mail) ou página da Internet (ex: applets).

. CRACKER
Pessoa, não autorizada, que tente aceder a um sistema alheio, provavelmente, para proveito próprio ou com intenções maliciosas.

. CMYK
Sistema para a descrição das cores, pela quantidade de cada cor secundária (cyan, magenta e amarelo) em conjunção com o preto. O sistema CMYK é usado para a impressão. Para a mistura de pigmentos, é melhor usar as cores secundárias, pois elas misturam-se subtractivamente em vez de aditivamente. As cores secundárias da luz são cyan, magenta e amarelo, que correspondem às cores primárias dos pigmentos (azul, vermelho e amarelo). Para além disso, apesar do preto poder ser obtido misturando as três em iguais proporções, na impressão a quatro cores ele tem sempre a sua própria tinta. O K significa preto (black) para não causar confusão com o B em RGB.

. CD-RW
Versão de escrita múltipla do CD-ROM. Os CD-RWs têm a mesma capacidade dos CD-R, mas permitem a alteração da informação existente. Só podem ser lidos ou escritos em leitores de CD-ROM que tenham essa permissão (gravadores de CD ou CD-RW). Esses leitores permitem ainda a gravação e leitura dos CD-R.

. DIRECTX
Interface de programação da Microsoft(tm) para o Windows95(r). O DirectX permite aos programadores de jogos uma maneira stardardizada para obter o acesso directo a funções melhoradas do hardware sem passar pelo GDI do Windows95(r). Assim, o código do DirectX é, normalmente, mais rápido do que o equivalente em MS-DOS(r).